Anorexia

December 20, 2016

A anorexia mental é a recusa alimentar sem perda de apetite. É frequentemente associada à adolescência e a um desejo de emagrecer ou a uma percepção distorcida da imagem corporal. Contudo, a anorexia é um problema comum na primeira infância. A anorexia infantil escapa à lógica dos ideais impostos pela sociedade, quanto à imagem corporal, não fazendo distinção de sexo. A recusa de alimento pela criança pode manifestar-se, por exemplo, no período de transição para a alimentação autónoma, associada à entrada no infantário e na escola ou a uma situação traumática. Em qualquer um dos casos o problema reflecte uma paragem ou regressão no desenvolvimento, resultante da existência de um conflito interno ou de um conflito com o ambiente. Revela uma luta constante entre o evoluir, sinónimo de crescer e de autonomização, e o parar, ou seja, manter-se criança ou dependente. Certo é que os distúrbios alimentares resultam quase sempre em atrasos no crescimento e não raro estão associados a estados depressivos.

A relação entre a figura materna e o filho, no que diz respeito à alimentação, desempenha um papel fundamental nesta problemática. Desde o nascimento que a recusa de alimento por parte do filho é causadora de ansiedade e preocupação, transformando muitas vezes o ritual da alimentação num drama, num momento de tensão entre quem alimenta e quem é alimentado. É portanto fundamental que o acto de alimentar transmita equilíbrio, segurança, protecção e tranquilidade. Ao mesmo tempo, todas as mudanças na alimentação, associadas ao crescimento, devem ser vividas com normalidade e sem movimentos bruscos de avanço ou recuo. É importante ensinar com serenidade e respeitar os tempos da criança na aprendizagem e aperfeiçoamento de comportamentos alimentares adaptados – comer a horas certas, em quantidades adequadas, utilizar talheres, não sujar, etc..

Ainda que a satisfação alimentar seja uma das necessidades mais básicas e primárias da criança, mais importante que obrigar o filho a comer é transmitir o amor e segurança necessários para que a criança possa crescer e enfrentar os perigos e incertezas que lhe causam medo e insegurança.

A anorexia pode surgir na criança e no adolescente como um sintoma passageiro ou persistente, interferindo de forma significativa na sua saúde e na vida familiar. Se for este o caso, a ajuda de um profissional pode ser determinante.

Débora Macedo

Please reload

February 10, 2017

O Sentimento de Vazio

December 20, 2016

Anorexia

December 20, 2016

Trauma e EMDR

Please reload

© 2016 por desasSossego - Psicologia Clínica