Especialidades Avançadas

Psicologia da Justiça

O Psicólogo da Justiça avalia e intervém em problemáticas de pré-delinquência, delinquência, criminalidade juvenil, crime, violência e processos de promoção e protecção, tutelares, penais ou cíveis.

No foro penal, actuamos junto de vítimas (violência na intimidade, violência familiar) agressores, testemunhas de crimes, inimputáveis, em populações em situação de reclusão e pós-reclusão e forças de segurança. Em detalhe, efectuamos a avaliação e intervenção psicológica de indivíduos crianças, jovens, adultos e idosos, sujeitos a maus-tratos, negligência e/ou abusos físico, psicológico e sexual, e violência familiar (sintomatologia e psicoterapia de apoio, nomeadamente em perturbações de stress pós-traumático); em situações de simulação e perturbações factícias, psicopatia e serial killers, e stalking; avaliação e intervenção psicológica de adultos e idosos em situação pré-demencial e demencial; e prevenção, sinalização e intervenção de comportamentos suicidários.

 

No foro cível a psicologia da justiça tem como objectivo aceder ao funcionamento psíquico da criança e do adolescente, no que diz respeito à sua personalidade, sintomatologia e dimensões emocional e cognitiva. Efectuamos a avaliação e intervenção psicológica e elaboração de relatórios períciais forenses da criança e dos progenitores, interacção familiar e competências parentais para mediação e resolução de responsabilidade parental, aferimos o nível de desenvolvimento da criança, regime da residência, avaliação de maus tratos, negligência, violência e abuso sexual.

Psicogerontologia

O Psicogerontólogo actua não só na prevenção, e reabilitação psicossocial, como também na melhoria da satisfação e qualidade de vida dos idosos e dos seus cuidadores que vivem na comunidade ou em contextos institucionais públicos ou privados. Efectuamos sinalização, avaliação e intervenção psicológica orientada para o desenvolvimento dos idosos, em várias dimensões humanas, de forma a promover um envelhecimento saudável e bem-sucedido, preservar a identidade, auto-estima e história de vida, e atribuir significado a momentos nesta fase de vida, construindo sentido de vida.

Em detalhe, o psicogerontólogo actua no âmbito das necessidades e problemas específicos da população idosa:

  • Avaliação e intervenção psicológica com idosos em situação pré-demencial e demencial;

  • Intervenção na violência física, sexual, financeira, maus tratos e negligência com idosos;

  • Avaliação e intervenção em perturbações e síndromes geriátricas e psicopatologias mentais;

  • Intervenção terapêutica no luto e reminiscência;

  • Intervenção terapêutica nos desafios pré e pós-reforma e perda/diminuição dos papéis profissionais;

  • Intervenção terapêutica na dor, doença crónica, perda de autonomia, perdas cognitivas e sensoriais;

  • Intervenção terapêutica na alteração do papel social e familiar;

  • Intervenção terapêutica na expressão corporal, satisfação sexual e disfunção sexual;

  • Intervenção em cuidados continuados e paliativos;

  • Educação e informação direccionadas para as problemáticas dos idosos, nomeadamente ao nível do envelhecimento no seu próprio local e da gerontologia;

  • Promoção de estratégias activas para enfrentar a solidão e descriminação (idadismo), desfavorecimento social, profissional, familiar e financeiro e melhoraria do bem-estar dos idosos;

  • Avaliação e implementação de programas e respostas de intervenção no apoio aos cuidadores;

  • Prevenção, sinalização e intervenção de comportamentos suicidários.

Sexologia

A satisfação na intimidade e sexualidade pode ser influenciada por alterações físicas e/ou psicológicas na resposta sexual, com dificuldades ou disfunções sexuais e reprodutivas que impedem uma vida sexual saudável e satisfatória. Algumas dificuldades e disfunções mais comuns incluem a perturbação do desejo sexual, do orgasmo, a disfunção eréctil, ejaculatória, dispareunia, vaginismo e aversão sexual. O Sexólogo actua ao nível das implicações psicológicas e emocionais da sexualidade humana, de forma integrativa.

Em detalhe, actua no âmbito das necessidades e problemas específicos sexualidade, intimidade pessoal e do casal, e disfunção sexual:

  • Identificação dos problemas do desenvolvimento psicossexual que afectam a relação nas diferentes etapas do ciclo da relação, as necessidades do casal, conflito conjugal e suas patologias, hipóteses de reconciliação e, caso existam, intervenção com meios facilitadores para o restabelecimento da relação;

  • Avaliação e intervenção nos aspectos psicológicos e clínicos da resposta sexual humana e das disfunções sexuais;

  • Identificação e intervenção nos problemas sexuais femininos e masculinos;

  • Saúde sexual reprodutiva e doenças sexualmente transmissíveis;

  • Intervenção na doença física, mental, e sexualidade;

  • Educação sexual e planeamento familiar;

  • Orientação sexual e intervenção com casais do mesmo sexo;

  • Sinalização, prevenção e intervenção da violência e abuso sexual de menores, no casal e outras relações de afecto;

  • Diagnóstico, avaliação e intervenção nas perturbações sexuais.

  • Facebook Social Icon

© 2016 por desasSossego - Psicologia Clínica